sexta-feira, 8 de abril de 2011

Cuidados com peixes e frutos do mar


Com a chegada do período da Quaresma, muitas famílias brasileiras estão substituindo as carnes do dia-a-dia pelo peixe.
Segundo os comerciantes, em 2011, essa troca parece ser também mais econômica, já que o preço do pescado está menor do que o da carne vermelha.
Os nutricionistas recomendam o consumo de peixe pelo menos duas vezes por semana. Isso porque, entre outras vantagens, peixes são alimentos ricos em ácidos graxos ômega-3, que são benéficos para saúde. O ômega 3 diminui o risco de doenças cardíacas, aterosclerose (endurecimento das artérias) e ajuda nas inflamações, no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas.
E a melhor notícia é que peixe tem pouca gordura! É claro que existem algumas espécies gordurosas, mas, em geral, o peixe tem bem menos gordura do que carne vermelha e frango, e isso faz com que sua digestão seja mais rápida. E também por isso, é um excelente aliado para quem quer perder peso e controlar o nível de colesterol no sangue.
Mas quando a gente chega ao mercado ou à feira e vai escolher o peixe, bate a dúvida: como saber que o pescado está realmente fresco? Como conservá-lo e por quanto tempo? E o que observar no momento da compra se a opção for por frutos do mar?
O guia a seguir foi feito com a intenção de ajudar nessas dúvidas. As informações são do Portal Banco de Saúde. Confira!
O que observar na hora de comprar peixe fresco:
  • Aparência geral: não pode haver manchas, furos ou cortes na superfície.
  • Escamas: têm que estar bem firmes e resistentes. Devem estar translúcidas (parcialmente transparentes) e brilhantes.
  • Pele: úmida, tensa e bem aderida.
  • Olhos: devem ocupar toda a cavidade, estarem brilhantes e salientes, sem a presença de pontos brancos no centro do olho.
  • Membrana que reveste a guelra (opérculo): rígida, deve oferecer resistência à sua abertura. A face interna deve estar brilhante e vermelha e os vasos sanguíneos devem estar cheios e fixos.
  • Brânquias: de cor rosa ao vermelho intenso, úmidas e brilhantes, com ausência de muco (líquido pastoso).
  • Abdômen: aderidos fortemente aos ossos e de elasticidade marcante.
  • Odor, sabor e cor: característicos da espécie que se trata.
  • Conservação: devem estar sendo mantidos sob refrigeração ou sobre uma espessa camada de gelo.
Peixe congelado:
  • Conservação: certifique-se de que o produto está armazenado na temperatura de conservação informado pelo fabricante na embalagem. O produto não pode estar amolecido ou com acúmulo de líquidos, sinal de que passaram por um problema de descongelamento. A presença de gelo ou muita água indica que o balcão foi desligado ou teve sua temperatura reduzida temporariamente.
  • Aparência: valem as dicas anteriores.
Bacalhau ou peixe salgado seco:
No Brasil, é reconhecido como bacalhau todo peixe salgado e seco. Existem no mercado nacional 5 espécies de peixe diferentes: Gadus morhua (Cod) e Gadus Macrocephalus, que são reconhecidas como bacalhau legítimo, e Saithe, Ling e Zarbo.
As seguintes características devem ser observadas no momento de escolher um bacalhau:
  • O produto deve ser armazenado em local limpo, protegido de poeira e insetos. Verifique se não há a presença de mofo, ovos ou larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, limosidade superficial, amolecimento e odor desagradável, que indicam que o produto não está bom para consumo. Quando vendido embalado, deve apresentar no rótulo a denominação de venda, data de validade, país de origem, prazo de validade, selo de inspeção federal e outras informações obrigatórias.
Frutos do mar, crustáceos e moluscos:
  • Devem ter aspecto geral brilhante, úmido; corpo em curvatura natural, rígida, patas firmes e resistentes; pernas inteiras e firmes; carapaça bem aderente ao corpo; coloração própria à espécie, sem qualquer pigmentação estranha; não apresentar coloração alaranjada ou negra na carapaça e apresentar olhos vivos, destacados, cheiro próprio e suave.
  • Caranguejos e siris: devem estar vivos e vigorosos; possuir cheiro próprio e suave; aspecto geral brilhante, úmido; corpo em curvatura natural, rígida, patas firmes e resistentes; pernas inteiras e firmes; carapaça bem aderente ao corpo; coloração própria à espécie, sem qualquer pigmentação estranha e devem apresentar olhos vivos, destacados.
  • Mariscos: devem ser expostos à venda vivos, com valvas fechadas e com retenção de água incolor e límpida nas conchas; apresentar cheiro agradável e pronunciado; ter a carne úmida, bem aderente à concha, de aspecto esponjoso, de cor acinzentada-clara nas ostras e amarelada nos mexilhões.
  • Polvos, lula: devem ter a pele lisa e úmida; olhos vivos e salientes; carne consistente e elástica; cheiro próprio (levemente adocicado); e ausência de qualquer pigmentação estranha à espécie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário