quarta-feira, 20 de julho de 2011

Vinhos

/ Coluna Jorge Carrara
BONS GOLES DA TOSCANA
Publicado em 12/07/2011 22:06:17

O enólogo italiano Alberto Antonini somou-se à respeitável lista de produtores que visitaram este ano o Brasil para divulgar seus vinhos. Formado em ciências agrárias na Universidade de Florença e com cursos de enologia na Califórnia (Davis) e na França (Bordeaux), Antonini trabalhou em importantes casas da Bota, como Frescobaldi, Col d´Orcia e Antinori, onde foi chefe de enologia.


Mesmo com essa trajetória no seu país, ele é talvez mais conhecido por aqui pelos goles que assina na Argentina, como os da Altos las Hormigas, adega da qual é proprietário e que impressionou desde a sua estreia pelos seus Malbec ricos, atraentes e com bela performance para o seu valor.


Antonini, porém, continua elaborando vinhos na sua terra natal, a Toscana, em Poggiotondo, uma propriedade ao oeste de Florença com 90 hectares de vinha, que, aliás, pertence à sua família desde 1969.  Entre os vinhos da casa que ele apresentou na semana passada em São Paulo, destaque para três da linha básica.


Um é branco, boa escolta para um queijo brie ou peixes grelhados. Os outros dois são tintos, ideais para assados e massas com molho de tomate. Mas os três têm pontos em comum com os goles platinos do enólogo: são saborosos e equilibrados (até, importante, no item custo beneficio).
Poggiotondo Toscana Bianco 2009

Um branco gostoso e diferente, boa alternativa para o binômio Chardonnay-Sauvignon Blanc. Corte de Vermentino (40%) com partes iguais de Trebbiano e Malvasia, ele mescla maçã madura, suave pêssego e cascas cítricas com toques minerais num paladar agradável e vivaz, realçado por uma boa acidez (88/100, R$ 48).


Poggiotondo Toscana Rosso 2009

Outro  tri-varietal da casa. Ele combina uvas francesas (30% de Merlot e outro tanto de Syrah) com a estrela da Toscana: Sangiovese. O tinto que, como o anterior, não teve nenhum contato com madeira, se mostrou redondo, com bom conteúdo de fruta (cerejas) e pinceladas de especiaria, que dominam o sabor (87/100, R$ 48).


Poggiotondo Chianti Cerro del Masso 2008

A Sangiovese (80%) volta aqui junto a outra cepa do lugar, a Colorino (5%), ambas complementadas por Merlot e Syrah. Toques de carvalho (9 meses em barricas francesas) aparecem bem casados com fruta (framboesa, cerejas), moldando o sabor de um tinto estruturado, mas macio, sem arestas (89/100, R$ 59).

Todos à venda na World Wine, (telefone: 3383-7477).



Nenhum comentário:

Postar um comentário